Emmet

Nas EPIs conceitos dividem-se em três categorias:

  • Aqueles internacionalmente conhecidos, normalmente empregados em modo, mais ou menos uniformes;
  • Outros mais recentes e inéditos, ainda não popularizados na comunidade científica;
  • Finalmente, novos conceitos, necessários para designar fenômenos específicos, ou parâmetros inéditos de fenômenos conhecidos.

Mais além, uma concepção original de conceitos e idéias, mais aptos e correntes com os hábitos cognitivos dos brasileiros, e a realidade do país.

E. R Emmet, em seu livro “The Use of Reason” (1961) aconselha harmonizar a exatidão da definição com os objetivos da comunicação. Tentaremos seguir seu conselho, procurando não molestar o leitor, com exageradas explicações. Ao mesmo tempo, tentaremos assegurar a compreensão dos conceitos importantes.

Pela tendência realista-construtivista, seus conceitos são formados por hipóstases, mantendo pegadas de suas individualizações anteriores. Permanecem, por isso, ao nível imaginativo ou inspirativo.

Ressaltam-se, neste aspecto, a pouca relevância dada a conceitos analíticos. E o “oportunismo” epistemológico, aos modos de Einstein.

Anúncios