Edmund Husserl

É o pano de fundo da atividade ou processo cognitivo, pressuposto em toda argumentação científica.

Pois, a comunicação pressupõe modos de falar e agir inerentizados em um mundo precedente a toda reflexão. Caracteriza-se por consenso pré-discursivo e pré-ativo, com elementos lingüísticos e não lingüístico. Por exemplo, pensamentos, acontecimentos, objetivos, ações etc.

O Lebenswelt é a parte deste mundo, composta por elementos relevantes à nossa prática de vida. Por isso, o Lebenswelt do agricultor é diferente daquele do engenheiro. Todavia, entrecruzam-se em algum ponto.

Nesse sentido, ao reconstruirmos o Lebenswelt do cientista, defrontamo-nos com atividades pré-científicas, a partir das quais desenvolveram-se sua disciplina e formação profissional. Por exemplo, técnicas de medição em trabalhos manuais, o manejo de cores, na Química etc.

Por isso, operando uma cadeia de investigações teorias podem ser reduzidas à sua origem. E reconstruídas, a partir dos objetivos implícitos em atividades primordiais no Lebenswelt correspondente.

Todavia, é imprescindível que o ponto de partida seja a ação concreta, no tempo-espaço. A descrição da atividade não é suficiente. Por exemplo, a atividade de desenhar linhas ou círculos permite-nos reconstruir a Geometria. Assim, a fundamentação é assegurada por um ato que não pode ser verbal ou intelectual.

A. Schutz - O pensador austriaco tem desenvolvido este conceito

 

H. Heine - O primeiro a utilizar o conceito de Lebenswelt

Anúncios