Systematic Enlightenment and Recivilization (SER) possui três aspectos, expressos em seus termos:

–  Determinísticos

–  Relativísticos

– “Imprevisíveis”

Os Tensores já desenvolvidos, correspondem a clássicos termos relativísticos.

Em nossos aplicativos, operam diferentes perspectivas da concepção, realização, ou recepção de ações ou acontecimentos.

O relativismo é a porta de entrada ao caos.

Assim, neste nível, os termos relativísticos mostram-se aptos a lidar com ações estruturadas, todavia dotadas da liberdade , disponibilidade e possibilidade de escolher um Frame of Reference.

Este nível de possibilidade e disponibilidade pode ser exacerbado.

A escolha, modificação e combinação de paradigmas, parâmetros considerados e objetivos, além de princípios e meios, pode ser absolutamente livre.

Mais além, pode-se compor conceitos dispositivos superpondo todos os componentes.

Isto constitui acontecimentos extremamente “imprevisíveis”. Todavia, plenos de possibilidades criativas.

Com isto, exacerbamos aquilo que pode ser visto como “componente central de ações cognitivas-verbais, práticas-poiéticas extremamente imprevisíveis”.

O objetivo final deste termo é tornar este componente neutro. Ou, fazer dele o melhor componente do sistema.

Para isto, adaptamos equações e experimentos da Mecânica Quântica. Propomos sua integração a Tensores aptos a operar a relatividade.

Este termo, em desenvolvimento, devera ser de grande importância na Teoria do Brasil.

Com ele, ganharemos ferramenta para processar a irracionalidade exacerbada, podendo prever e contornar suas consequências. Mais ainda, utilizá-la como fonte de benefícios, informações e possibilidades. E obter orientação prática no dia a dia.

Os sistemas de telecomunicações e computações modernos são possíveis pela compreensão e utilização pragmática-sistemática da imprevisibilidade, proposta pelas partículas que compõem a estrutura daquilo que chamamos de realidade.

A Física Quântica transformou um fator de incerteza na realidade em componente central que produz os benefícios que nos distingue da sociedade do século XIX.

O termo do SER, correspondente ao caos e incerteza, objetivo análogo. A questão básica é proposta como contradição:

– Como incentivar e promover a livre e exacerbada criatividade, baseada em grandes possibilidades e disponibilidades, todavia, contando com ferramentas para traduzir, harmonizar e viabilizar o resultados desta criatividade nos diversos Frames of Reference dos segmentos da sociedade?

Esta é a questão atual a ser resolvida. Para isto, estamos utilizando ferramentas qualitativas e quantitativas, combinadas e integradas.

Caso tenhamos sucesso, este tornar-se-á uma das mais importantes ferramentas na Teoria do Brasil. Seu desenvolvimento deverá nos ocupar pelos próximos meses.

Edson de Melo
30/10/2014

Anúncios