O que é, qual a função da cultura brasileira

Epistemologias Pragmática-Instrumentalista Brasileira

Trata-se da construção de sistema de conceitos e processos coerentes com a realidade e objetivos da nação brasileira, partindo de sua própria realidade. Este sistema é formulado, inicialmente, como hipótese operacional plausível. Neste caso, foi desenvolvida pela aplicação da Lógica da Abdução de Peirce, a partir do questionamento inventivo de uma teoria da Ciência, coerente e articulável como adequada e produtiva aos modos e componentes da realidade brasileira.

Desenvolve-se dinamicamente, em processo circular de formação hipotética e aplicação em acontecimentos, contando com inúmeras reformulações, correções e adaptações. Assim, a cultura popular brasileira, os movimentos Antropofágico, Tropicalismo, Clube da Esquina e todo acontecimento, do dia a dia, funcionam como recursos e impulsos.

Esboçada na EPI I, esta Epistemologia cristaliza-se em  sistemas iconológicos para aplicação pratica, criativa e diversificada. Isto já apresentado na EPI II, a SCH, será desenvolvido na EPI III, como sistema mais abrangente e genérico.

Nesse sentido, a EPI III proporá a formulação amadurecida da Epistemologia Brasileira.

EPI I  – Epistemologia Pragmática Instrumentalista

Pessoa de Morais

Obra básica e orientativa. Desenvolve e dispõe o instrumentário que será determinante ao longo de toda a pesquisa. Paralelamente, desenvolve ferramentas especificas para propor uma Teoria do Brasil.

Analisa, sugere e traça o paradigma para a Epistemologia Brasileira. Alem disto, apresenta inúmeras possibilidades, como a formalização e desenvolvimento de conceitos brasileiros, processos de transladação etc. Sugere uma tecnologia filosófica.

Simultaneamente, possui caráter educativo, informativo e orientativo. O leitor recebe uma visão geral da historia da Ciência e da Epistemologia, correntes mais importantes, definições s de conceitos obscuros, vasta fonte bibliográfica, etc. Assim, funciona simultaneamente como um mini-curso de educação e atualização filosófica-epistemológica.

A obra esta pronta, em fase de revisão, para publicação (aprox. 600 paginas).

EPI II  – (Sistematica Criatividade Heuristica )

G. Altshuller

É aplicação prática de possibilidades sugeridas na EPI I. A transformação de recursos e propostas em sistema, para utilização no cotidiano. O leitor tem a oportunidade de realizar as propostas, concreta e autonomamente, vivenciando suas possibilidades.

A concepção do desenvolvimento de conceitos brasileiros é desenvolvida. Surgem princípios inventivos e explicativos, formados a partir de acontecimentos da realidade cotidiana do país. Alem do mais, formula, utiliza e normaliza o desenvolvimento da criatividade popular.

Esta criatividade, formulada como conceito dispositivo e equilibrado, e apoiada por um sistema composto de princípios, processos, relações e ferramentas. Suas inúmeras possibilidades predispostas orientam o pensar imaginativo do leitor. Propiciam o desenvolvimento e aplicação sistemática da criatividade, com interesses inventivos e heurísticos.

Trata-se, pois, de modelo para pensar criativa e heuristicamente, sob hábitos cognitivos característicos dos brasileiros.

A obra esta pronta, em fase de revisão, para a publicação, no primeiro semestre deste ano (aprox. 100 paginas).

EPI III (Sistemática Realização do Futuro)

Integra as propostas da EPI I e II criando o paradigma da brasilidade no século XXI. O sistema da EPI II estende-se acessando novos recursos. Passa a considerar e operar com o pensar criativo inspirativo e intuitivo. Assim, são utilizadas contribuições da tradição romântica literária, filosófica e artística, as religiões e místicas, entre nos, os recursos da cultura afro-brasileira e da Antroposofia.

Por outro lado, é ressaltada, com maior intensidade, a perspectiva da atividade do operador e executor, o trabalhador e lavrador, hoje pertencentes as classes D e E de nossa população. São o ponto final de confluência de toda ciência, arte e tecnologia. Agentes responsáveis e reguladores da realidade trans-subjetiva. Pode-se dizer, os construtores da realidade.

O sistema oferecera a possibilidade de canalizar quaisquer recursos, sejam metafísicos ou técnicos, em sentido a aplicações práticas e poiética. Para tal, serão propostas ferramentas adequadas, meios e esquemas de transformação, alem do desenvolvimento e aperfeiçoamento de propostas apresentadas anteriormente. Trata-se de plena tecnologia filosófica-epistemológica, acessível a toda população, formulada como atividade artesanal, sob o modelo das praticas e artes populares.

Trabalhando

O tipo do Pensador-Operário Antropofágico Informatizado desenvolve-se. Todavia, sem perder o romantismo e doçura, alem de tendências metafísicas, como é coerente com a nossa natureza e cultura.

Na EPI I vivenciamos o tipo exacerbadamente característico das civilizações do hemisfério norte. Consciente, pragmático-instrumentalista, articulando-se na tradição e paradigma do ocidente moderno.

Na EPI II este tipo aproxima-se do Brasil. Centraliza sua atividade no pensar e articular-se inventivo e imaginativo. Todavia, incrementado pela tradição sistemática e pragmática. Para tal, ele questiona o valor pragmático de pensamentos, ações e acontecimentos.

O tipo na EPI III articula a autoconfiança e consciência do que é. O brasileiro emancipado. Aterra no país, literalmente, sem perder a lucidez e abrir mão das ferramentas desenvolvidas. É agora o homem de três cabeças. Pensa pragmática-instrumentalisticamente. Simultaneamente é imaginativo e inventivo. E, finalmente, integrando a rica metafísica que utilizamos como forma de comunicação, nas artes e no dia a dia, alem de recursos de culturas autóctones e abrasileiradas.

Lavradores

Assim, a EPI III  será composta por três sistemas, interligados. Serão, igualmente três paradigmas. Um ao nível mais abstrato e metafísico. Interliga-se com o sistema da EPI II que transcorre em nível imaginativo. Finalmente, deságua em subsistema puramente realizativo, inspirado nos modos de falar, agir e pensar de operários e lavradores. O aspecto mais operacional e realizativo de toda a civilização.

Os pressupostos deste sistema, seu desenvolvimento e aplicação viabilizarão a formulação de uma Epistemologia adequada aos hábitos cognitivos dos brasileiros.

As pesquisas, para este trabalho, foram iniciadas em Janeiro de 2011. A conclusão do livro está prevista para o final do ano de 2015. Esperamos contar com a ajuda dos leitores, em forma de comentários, envio de informações e sugestões (aprox. 250 paginas).

_________________________________________________

Edson de Melo

© Copyright 2011-2012 – Todos os direitos reservados