Nos livros de Friedrich Nietzsche, influenciados por Max Stirner, o conceito e prática da Impecabilidade é obscuro.

 Aparece como comentários e declarações esparsos. Não permite, realmente,  prática sistemática e progressiva.

 Apesar disto funciona relativamente bem. 

Como muitos filósofos, Friedrich Nietzsche foi um mestre em identificar e criticar problemas do modo de viver na civilização ocidental. Todavia, nunca propôs concepção detalhada e consistente para resolvê-los.

Nos anos oitenta escrevi um pequeno livro chamado “Teoria e Prática da Impecabilidade”. 

Foi publicado na revista de sociedade filosófica “Nietzsche-Kreis”. Posteriormente, foi intensamente discutido entre filósofos nietzscheanos.

Como apêndice, eu incluía um estudo da Impecabilidade na obra de Friedrich Nietzsche, principalmente em Zarathustra.

Nesta época, procurei clarificar e sistematizar esta concepção, ao máximo possível. Mesmo assim, permaneceu obscura. 

Todavia, o fato dela funcionar, apesar de tudo isto, é importante indicador. Revela seu potencial.

No SER, estes problemas foram contornados, em parte sob a orientação, concepções e ferramentas da Física Quântica.

A relação entre o modo de pensar nesta disciplina, com a prática de vida, oferece novas possibilidades para uma “Lebensphilosophie” (Filosofia da Vida) que possa dar conta as necessidades da vida cotidiana, também em sociedades caóticas e primitivas.

Desse modo, acho que este será um aspecto bastante original no SER.

Todos os componentes necessários a impecabilidade são ai clarificados, relacionados. A prática não necessita de exercícios especiais. O usuário pode iniciar imediatamente.

O modo de viver de cada um de nós, com suas milhares de ações, decisões e acontecimentos diários, funciona diretamente, como matéria prima, laboratório e prática, para a intensificação dos momentos.

Dai, no SER vemos a “Impecabilidade” como:
Intensificação dos momentos, produzindo “adequação incrementativa” de cada ação com sistema de objetivos, interligados em rede continua, através da progressão criativa de Alfred North Whitehead (Veja isto na EPI-I).

Consequência direta é o fato de cada momento, acontecimento ou utensílio ganhar sentido e significação.

Mais além, funciona como processo de desenvolvimento de particular e especifica intuição.

Outros termos do SER são integrados, articulando um sistema orgânico que utiliza milhares e milhares de pequenas ações para o proposito central de melhoria da qualidade de vida.

Simultaneamente, é impulso vigoroso para elevar, progressivamente, os níveis de civilização.

Edson de Melo
© Copyright 2014-2015 –
 Todos os direitos reservados