O FIM DO CAOS E A TEORIA DO BRASIL

Desse modo, reconstruir o Frame of Reference, e dai a própria Evidencia que cada um de nós desenvolve a cada ação, parecia ser uma missão impossível.

Apos a disposição dos parâmetros de possíveis Frames of Reference (FR) ganhei imagem difusa de como este projeto poderia ser bem sucedido.

Foram dispostos em espaço matemático imaginário de inúmeras dimensões.

As tarefas seguintes foram: coletar  parâmetros e processa-los. Para isto, era necessário desenvolver métodos e ferramentas

Novamente isto parecia ser bastante abstrato e inacessível. Eu necessitava, realmente, de uma série de boas e originais ideias.

A universalidade de tais processos levaram-me a desenvolver uma equação que mantém em superposição todos os parâmetros necessários.

Isto possibilita a resolução em alta velocidade, necessária para avaliar e reconstruir o FR, ao longo das acoes estudadas.

Naturalmente é uma equação extensa e abstrata. Mas sua solução é acessivel.

Parece depender, unicamente, da qualidade da organização das informações necessárias. E, alguma prática em sua manipulação.

Nas ultimas semanas tenho organizado os componentes e informações necessárias ao processamento da equação.

O resultado tem sido bastante animador. Aos poucos, as grandes dificuldades no processamento estão sendo superadas.

Trata-se de um trabalho paciente, progressivo. Exige um planejamento acurado.

O processamento tornar-se-a mais fácil pela prática de exercícios desenhados para desenvolver a capacidade de processamento do pensar, para manipular equações abstratas e extensas.

Em outras palavras, a aplicação desta equação nos informa do  estado atual da Própria Evidencia, podendo atualizar esta informação simultaneamente a modificação da posição e magnitude da PE.

A partir deste desenvolvimento, registrei a independência e implícito cancelamento de parâmetros. Isto é um fato em todo acontecimento.

O passo seguinte foi desenvolver processo para testar grande quantidade de casos. Isto é necessário para verificar a veracidade, mais alem, coletar resultados, examinar a qualidade da teoria.

Mais alem, responde questões referentes a dinâmica da Própria Evidencia:

1- Apresenta transcurso que repete-se frequentemente?

2 – Apresenta transcurso caótico, diversificado, nunca retornando a um ponto ou caminho percorrido?

3 – Ou, comporta-se de modo linear, como partículas, sob determinadas condições formam-se em linhas, semelhantes as cordas tensionadas de um instrumento musical?

São questões fascinantes. E, provavelmente, decisivas, para, por exemplo, conhecer, determinar e descrever o caráter de uma cultura, de um povo ou nação.

Tais movimentos, todavia, transcorrem em um espaço imaginário. O acesso é facultado pela equação.

Isto revela a relação entre as ações e seu correspondente Frame of Reference.

Ter chegado a este ponto, e, principalmente, sob a interferência das possibilidades e capacidade de explicação da equação básica de todo o sistema, afetam-me profundamente. Certamente de modo positivo.

Sinto-me realizado. Consegui dar um sentido transcendental a minha existência. E, sei, isto me fara feliz, por um espaço de tempo indeterminado. E motiva-me a trabalhar, sem limites, na realização deste difícil projeto.

Mesmo sem o completo desenvolvimento do FIM DO CAOS, como é meu objetivo, a equação básica nos provê de ferramenta  necessária e suficiente, para a formulação e aplicação da Teoria do Brasil.

De que nos servira esta teoria?

1 – O aspecto mais simples e direto é compreender nossas deficiências e potencialidades. Ou seja, profunda e vasta auto-consciência.

2 – Eliminar diferenças superficiais, homens, mulheres, homossexuais, lésbicas, nordestinos, ricos, pobres, negros etc.

3 – Colocar a disposição a possibilidade de nos libertar do paradigma de julgamento, culpa e punição, ao qual estamos vinculados coercitivamente.

4 – Produzir irmandade e compreensão, para que possamos nos unir. E juntos desenvolver nossas potencialidades, como indivíduos, sociedades e nação.

5 – Principalmente, propor e orientar processo recivilizatório, uma vez que ainda não compreendemos, exatamente, como nos formamos, em que estagio cronológico e ontológico do processo civilizatório do ocidente estamos.

6 – Prever e prevenir  dinâmicas negativas, destrutivas, ou perigosas, no curso de nosso desenvolvimento, como individuo, sociedade ou nação.

7 – Nosso devido lugar no cenário internacional ocidental.

8 – Mais alem, para inspirar, oferecer meios e processos para o  progresso e desenvolvimento ontológico, pessoal, social e econômico.

9 – Propor o paradigma do entendimento e compreensão.

O FIM DO CAOS inaugura o paradigma do entendimento e compreensão, a partir dos princípios da diferenciação em função da unificação.

Isto, pretende oferecer uma alternativa ao paradigma do julgamento e punição que transcorre sob os princípios da diferenciação para remoção.

E que não permite o desenvolvimento pleno da inteligência, uma vez que, correntemente, transcorre sob deduções dedutivas. Frequentemente deduções dogmáticas.

Esta mudança é a pedra fundamental da recivilização do ocidente. A base para um novo impulso civilizatório que desenvolva a inteligência a apoie plena civilização ética.

Edson de Melo
Frankfurt, 23 de Agosto de 2015

Anúncios