São ferramentas poderosas, com estética e funcionalidade particulares, intensas e estimulantes.

Systematic Enlightenment and Recivilization esta aparelhado com forma particular de Transformação, Correspondência e Tensor. Estão em fase de testes. Deverão ganhar elegância, funcionalidade e simplicidade.

Todavia, os resultados iniciais deixam antever diversas possibilidades.

O beneficio básico é a sensível intensificação da clarificação e continuidade de ações, declarações e pensamentos.

Por exemplo, a utilização de contradições como fonte de informações valiosas. E, mais além, a resolução da problemática da subjetividade versus objetividade, individualidade versus comunidade, originalidade versus socialidade.

A opinião individual ganha dimensão e correspondências universais. A subjetividade é dotada de ponte de ligação a intersubjetividade, e, possivelmente, a transsubjetividade (aquilo que normalmente denominamos como “objetividade”).

Dai, o isolamento de nosso mundo interior, de pensamentos, opiniões e pareceres, integra-se a sociedade, em nível de sociabilidade.

Contradições operam e diluem-se frutiferamente na rede do progressivo desenvolvimento das transformações, correspondências e tensores.

Um de seus aspectos básicos é tornar compreensível, por exemplo, uma Filosofia complexa, como Heidegger ou Hegel. Mais além, poder utiliza-las como fonte de informações e impulsos práticos. Mais além, a integração produtiva de Filosofias ou Doutrinas opostas, contraditórias.

A aplicação desta ferramenta resulta na “Progressão Criativa Transformativa (PCT)”.  A continuidade integrativa e incrementativa de paradigmas, objetivos e meios empregados. 

Esta concepção devera ser uma das conclusões e aplicações importantes no SER. Extremamente adequada ao modo de pensar dos brasileiros, e suas necessidade para a produção de convívio e cultura do futuro.

O transcender pela continuidade produzida pela superposição diferenciada, produz intensificação dos momentos.  Com ajuda desta ferramenta, opera a simultaneidade de individualidade, subjetivismo e individualismo, e universalidade, expressa na transsubjetividade. 

Contando com termos acessórios do SER, opera a medida adequada de Empirismo, Racionalidade ou Intuição, necessária a produção de modo de pensar brilhante, original e construtivo.

Pensando como Hegel, a totalidade é “inter e transsubjetiva”. Ela é resultante da resolução de contradições. Assim, a emancipação da contradição, como ecologicamente operamos a emancipação do lixo.

Na definição bela e brilhante de Jose Lutzenberger:: “Boas coisas nos lugares errados.

Edson de Melo
outubro de 2014

Anúncios